Microsoft participa de hackathon sobre transparência de dados na Unicamp

Hackathon_UNICAMP

Por Rafael Pinheiro //

Esta semana, o Hack the Campus movimenta a Unicamp, em Campinas (SP), com uma discussão sobre transparência dos dados, entre os dias 27 e 29 de outubro. Em formato de hackathon, a iniciativa tem o objetivo de propor ferramentas para tornar a Unicamp uma universidade transparente, com workshops, palestras e inovação.

Gustavo Maronato, aluno de engenharia elétrica da Unicamp e idealizador do Hack the Campus, conta que a ideia surgiu a partir da Lei de Acesso à Informação, que obriga instituições públicas a liberarem seus dados. “Junto com amigos, decidi criar o projeto Transparência Unicamp, que virou uma disciplina e um grupo de trabalho, para que os alunos possam ter acesso às informações.”

“Os dados não são úteis se a população não pode acessá-los. A ideia do hackathon é criar soluções para que todos possam usar os dados e escolher o que fazer com eles”, diz Maronato. Ele também faz parte de um grupo que aproveita as informações públicas do governo e aplica Data Science sobre os dados de reembolso de viagens dos políticos, por exemplo, para determinar a legalidade da transação.

Durante o evento, Ronan Damasco, diretor nacional de Tecnologia da Microsoft, vai falar sobre a importância da transparência dos dados. “Hoje, os dados são o novo petróleo, ou seja, são os elementos principais que fazem as economias girarem”, afirma Damasco. “O hackathon é uma iniciativa importante, já que é essencial ter as ferramentas para manipular os dados com segurança e transparência.”

Atualmente, a Microsoft tem cinco Centros de Transparência no mundo: Brasília, Bruxelas, Redmond, Singapura e Pequim. A empresa também possui o Government Security Program (GSP), que permite aos governos ter total transparência sobre os produtos da Microsoft.

“A participação da Microsoft tem sido essencial como nossa maior parceira nos hackatons. A ideia é que os alunos possam entender do assunto e se beneficiem do evento”, comenta Maronato. “Queremos construir um relacionamento com a Unicamp, uma das instituições pioneiras no país, que é muito forte na área de Ciência da Computação”, afirma Silvia Moretti, analista de Marketing da Microsoft.

Além de Ronan Damasco, o gerente de Programas Acadêmicos e Startups da Microsoft, Rodrigo Dias, participará de um techtalk no primeiro dia do evento. Confira a programação completa do evento aqui.