Microsoft recebe jovens da Fundação CASA na Hora do Código

Fundacao_CASAV3B

Por Rafael Pinheiro //

Olhos atentos percorrem a tela em busca da resposta certa. “Avance”, uma voz tímida ressoa pelo microfone. “Vire à direita e avance”, comanda a mesma voz, já mais confiante. O avatar segue o trajeto ordenado e, quando chega ao destino, um sorriso se abre no rosto sério. Satisfeito com a vitória, o garoto da Fundação CASA completa seu primeiro exercício de programação da Hora do Código.

“Até que não é complicado”, comenta um dos meninos que participaram da Hora do Código, workshop realizado pela Microsoft em sua sede, em São Paulo, na última sexta-feira (1), com cerca de 50 adolescentes e 30 colaboradores de 14 centros socioeducativos da Fundação CASA. Esse evento faz parte de um programa global criado para ensinar os fundamentos básicos de programação a jovens de vários países.

“Nosso objetivo é mostrar que esses meninos podem aprender a programar. A tecnologia vai muito além da diversão, também pode ser uma oportunidade de trabalho”, disse Claudia Queiroz, coordenadora de projetos do Instituto Crescer, que comandou a gincana de programação com os garotos. “Acredito que temos que mostrar que eles têm, sim, uma escolha. Precisamos apenas ampliar esses horizontes para que eles possam correr atrás.”

Durante o encontro, os meninos puderam participar das atividades utilizando blocos de comandos para programar movimentos do jogo Minecraft. Para Miguel*, a participação na Hora do Código foi uma oportunidade para aprender mais sobre tecnologia. “Foi muito legal. Quando entrei na Fundação, iniciei um curso de desenvolvimento de jogos. E, desde então, comecei a gostar de tecnologia. No futuro, pretendo continuar fazendo jogos e jogando videogame.”

“Gostei dessa oportunidade porque consegui aprender a parte técnica. Assim posso melhorar no curso que faço na Fundação”, comentou João*, que, apesar de gostar muito de tecnologia, tem outra paixão. “Gosto de cortar cabelo. Agora que tenho a base da tecnologia, posso juntar as duas coisas e melhorar naquilo que quero fazer”, disse.

A participação na Hora do Código, da Microsoft, ajudou os meninos a entenderem como a programação funciona na prática. “Essa iniciativa proporciona o conhecimento para que esses jovens possam seguir em frente. Depois de cumprirem a medida socioeducativa, eles têm certa experiência para conseguirem um emprego, já que a nossa intenção é apresentar as profissões, para que o interesse seja despertado neles”, afirmou Cristina Watanabe, coordenadora pedagógica da Fundação CASA.

Para Gustavo Amici, gerente de Educação da Microsoft Brasil, o objetivo é proporcionar o primeiro contato com a tecnologia. “Acreditamos que, por meio dela, conseguimos impactar a vida desses jovens para que tenham um bom emprego no futuro.”

Agora, o próximo passo é organizar novos workshops para incentivar outros jovens a programar. “A nossa intenção é realizar outros encontros como esse e temos alguns parceiros que podem nos ajudar a viabilizar essa ideia”, finaliza Amici.

*Os nomes foram mudados a pedido da Fundação CASA.