Black Minority Students Day discute o desenvolvimento da inteligência artificial

22 de março de 2019

Postado por Equipe do Blog em Destaque, Histórias

Por Luca Peghim

A democratização da inteligência artificial (IA) foi o tema principal do Black Minority Students Day (BMSD), realizado no dia 15 de março, no escritório da Microsoft, em São Paulo. Promovido pelo Blacks at Microsoft (B.A.M.), pilar étnico-racial da Microsoft Brasil, e pela Black Rocks Startups, o evento reuniu personalidades negras para prover conteúdo, conhecimento e experiências aos parceiros, clientes e colaboradores presentes.

Na palestra “IA na prática”, André Nunes, analista digital na consultoria McKinsey, falou sobre como a inteligência artificial está se desenvolvendo e como essa tecnologia permeia nosso dia a dia. André exemplificou situações em que a IA interage com os seres humanos de maneira simples, como os anúncios de produtos e serviços que recebemos especificamente para nós quando visitamos sites ou entramos em nossa caixa de e-mail.

Nunes também convidou os espectadores a participarem de uma dinâmica. Foram separados grupos de cerca de dez pessoas, que simularam o funcionamento da inteligência artificial sem o uso de computadores. O objetivo era classificar como “cachorro” ou “gato” algumas fotos ampliadas de animais, assemelhando-se aos serviços cognitivos encontrados no Azure e outras tecnologias.

Na primeira etapa da dinâmica, as pessoas tiveram um minuto para classificar o máximo de imagens possível, mas apenas metade da equipe pôde participar. Na segunda etapa, os participantes tiveram dois minutos e meio e todos puderam ajudar na classificação. Com resultados muito mais assertivos e em maior quantidade na segunda etapa, a dinâmica mostrou como a ampliação de recursos, como a quantidade de dados, a experiência e a prática de funcionamento, colaboram significativamente com o desempenho da inteligência artificial.

Tânia Cosentino fala no evento

Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil, fala da importância da diversidade para as empresas

Dando sequência à programação, Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil, deus boas-vindas aos participantes e falou sobre sua carreira, na qual conquistou vários reconhecimentos nas áreas de clima organizacional, inovação, diversidade e inclusão, e sua motivação para comandar a subsidiária. “A Microsoft é uma empresa que vê a tecnologia como um meio de transformar a sociedade”, disse Tânia. A presidente ainda complementou o discurso falando sobre a importância da diversidade para as empresas: “Diversidade traz inovação, agilidade e rentabilidade”.

Karen Novaes, recrutadora para América Latina no Google, Julio Cosmo, CEO da plataforma Juntos Campus, e Juliana Martins, head de Projetos na ADIQ, deram sequência ao BMSD com o painel “Gestão de Pessoas e IA”. Os executivos discutiram sobre como as empresas estão usando a inteligência artificial para fazer o recrutamento de pessoas e deram dicas importantes sobre como montar um currículo eficiente. “É importante colocar no currículo as palavras-chave que fazem sentido para a posição que você está buscando. Por exemplo, eu sou uma recrutadora, o que é importante ter dentro do meu currículo? É preciso dizer que eu sei fazer entrevistas. Então, ‘entrevista’ é uma palavra-chave para o meu currículo”, disse Karen Novaes.

Marcelo Leal, líder de Código Aberto da Microsoft, complementou o painel falando sobre as tecnologias da Microsoft disponíveis para o público e a questão homem versus máquina, que ganha maior relevância com o avanço da IA: “A Microsoft vê a inteligência artificial como uma maneira de aumentar a capacidade do ser humano. É algo que vem para agregar e não para dividir. Toda a tecnologia que a gente está trabalhando é para aumentar a capacidade de cada um de nós”.

O segundo painel do dia, “Startups e o uso de IA”, teve participação de Clóvis Santos, CEO e cofundador da inYtcer, Fernando Cervan, cofundador e CTO na startup O3 Mídia, Jefferson Machado, sócio-fundador da Results, e Maitê Lourenço, fundadora do BlackRocks Startups. O tema abordado foi como a IA está auxiliando as startups e provocando mudanças nos produtos e serviços oferecidos. Os painelistas falaram como é importante para os empreendedores fazer conexões e trocar experiências entre si, e destacaram o papel fundamental da educação em todo o processo de evolução das tecnologias. “Pensar em tecnologia para o nosso público é também pensar que a gente vai educar esse público. A gente precisa não só querer criar um produto e vender para o cliente, mas é necessário trazer ao cliente esse contexto de educação”, disse Maitê Lourenço.

O BMSD continuou com Pedro Maciel, cofundador do Podcast Lado Black, que palestrou sobre suas experiências como programador e músico. Pedro falou sobre como novas tecnologias, inclusive a IA, estão colaborando com a arte. “Se um artista usa a rede neural artificial para fazer desenho, então ele está usando a tecnologia para fazer arte”, disse Pedro.

Rappin Hood

Rappin Hood comenta o projeto Sabotage, de música composta por IA, realizado pelo Spotify

Ainda sobre o tema, Gabriela Lancellotti, head of Marketing Brazil no Spotify, Camila Ramos, líder do B.A.M. na Microsoft Brasil, e o rapper Rappin Hood apresentaram o case Sabotage, no qual foi mostrado como o Spotify fez uso de IA para criar uma música póstuma do rapper Sabotage. Gabriela contou que, com a ajuda da família do Sabotage, o Spotify teve acesso a um antigo caderno do rapper com rascunho de muitas letras. A empresa convidou o grupo RZO para colaborar com a batida e o sample da música e, com ajuda da IA, foi criada uma nova canção.

“Eu vejo esse projeto como algo diferenciado. Um trabalho com inteligência artificial no rap brasileiro não havia acontecido. Essa música abre um novo leque, uma nova oportunidade não só para o rap, mas para a música brasileira. Quantos artistas que já se foram que a gente ainda pode dar vida? Poder ressuscitá-los é algo sensacional”, disse Rappin Hood.

Após as apresentações, todos os convidados e espectadores participaram de um happy hour no qual puderam compartilhar suas histórias e trocar experiências.

O Black Minority Students

O Black Minority Students Day é um evento internacional que acontece há 29 anos na Microsoft. Criado com objetivo de diminuir a lacuna digital que existe na inclusão racial no mundo da tecnologia, o BMSD expõe aos jovens as carreiras dessa área, proporcionando oportunidades para interagir com essas tecnologias e conceitos. Esta edição teve como foco a inteligência artificial, suas ferramentas, recursos, startups e profissões disponíveis nesse segmento da tecnologia.

Últimos posts

Tags

Posts Relacionados