Certiface e Microsoft juntos no combate a fraudes

25 de agosto de 2016

Postado por admin em Azure, Histórias, Para negócios

oiti1Abertura de contas e compras no cartão de crédito são situações de rotina que podem se tornar uma enorme dor de cabeça se caírem nas mãos de um fraudador. Com identificação falsa ou documentos e cartões roubados, o golpista pode usar o seu cartão em compras, distribuindo prejuízos para você, a loja que vendeu os produtos e a instituição financeira responsável por emiti-lo. E a probabilidade de isso acontecer é grande: a cada 14,8 segundos ocorre uma tentativa de fraude com cartão de crédito no país, segundo estudo da Serasa.

Para evitar esses tipos de fraude, a Oiti Technologies desenvolveu o Certiface, solução de reconhecimento facial que utiliza o Azure, a nuvem da Microsoft. Cada vez que um usuário de produtos de crédito faz uma operação, sua imagem é comparada com a base de dados inteira do Certiface em tempo real. Assim, grandes redes varejistas, como Lojas Marisa e Carrefour, e bancos, como o Original, verificam se a pessoa que está abrindo a conta ou usando o cartão é a verdadeira dona dele.

O sistema é ágil e escalável. “Rodamos o Certiface em máquinas virtuais Azure para aproveitar sua alta disponibilidade, resiliência e escalabilidade. O que nos permite obter resultados em tempo real é o Azure”, afirma Alessandro Faria, sócio da Oiti.

Flexibilidade também é uma das qualidades da solução. O aplicativo cliente do Certiface foi codificado em um app universal Windows e pode ser executado em qualquer dispositivo Windows. “Os apps universais Windows facilitam a elaboração de um conjunto de código para usá-lo em qualquer aparelho”, diz Faria. “E o Windows 10 tem capacidade de detecção facial integrada. Assim, podemos identificar o rosto em uma tomada da câmera diretamente do sistema operacional, economizando largura de banda por não ser necessário enviar a imagem para o Azure”, acrescenta. Também estão disponíveis apps nativos para iOS e Android.

O Certiface está preparado para aproveitar a vantagem das câmeras 3D quando se tornarem padrão nos dispositivos. “Com a imagem de câmara 3D conseguiremos identificar se a imagem analisada é um rosto real ou uma fotografia ou vídeo, evitando uma possível maneira de ludibriar o sistema”, diz Marcelo Honda, sócio da Oiti, que prevê a disponibilidade desse recurso em 2D ainda neste segundo semestre.

Desde 2011, quando o Certiface entrou no mercado, a Oiti vem agregando conhecimento com a operação do serviço e oferecendo novas possibilidades de utilização. “Agora, estamos entrando no combate à fraude interna, de conivência, autenticando o login do funcionário, já integrado ao Active Directory (AD), tecnologia Microsoft”, adianta Honda, que vê oportunidade de utilização do sistema em call centers, por exemplo, que precisam de certificação dos colaboradores.

Alessandro Faria considera que a biometria facial é a melhor maneira de combater a fraude: “Clonagem e falsificação sempre existirão. É impossível diferenciar os cartões falsos dos verdadeiros, e medidas biométricas, como impressões digitais, podem trazer dificuldades, por gerar leitura inválida facilmente. Mas é muito difícil mudar um rosto.”

 

Últimos posts

Tags

Posts Relacionados