Três equipes da América Latina se preparam para a final mundial da Imagine Cup

Foram quase cinco mil projetos latino-americanos inscritos na Imagine Cup deste ano, mas só três vão chegar à fase final da competição, em Seattle, nos Estados Unidos, em julho. São eles: Adam Robô (Brasil), Eranoi (México) e Lexa (Argentina). A vitória na etapa regional encerra um processo iniciado no ano passado, que selecionou 183 projetos e, depois, 13 finalistas para uma disputa apertada no evento realizado no inovaBra Habitat, em São Paulo, na última quinta-feira (24).

“Muitas vezes você tem talento e tecnologia, mas precisa de oportunidade. A Imagine Cup é a oportunidade de reunir talentos, colocar a tecnologia a serviço deles e ajudá-los na jornada”, disse Roberto Prado, diretor de Nuvem da Microsoft Brasil. “A gente tem o compromisso de disponibilizar as ferramentas e empoderar. E o resultado está aqui, são várias equipes vencedoras, algumas inclusive transformaram o projeto em uma empresa, e vários outros foram trabalhar com a gente.”

Rodrigo Dias, gerente de Programas Acadêmicos e Startups da Microsoft Brasil, coordena a competição na região e contou um pouco sobre a trajetória até essa etapa. “Essa é uma jornada que está terminando hoje. Foi uma decisão tomada lá em julho do ano passado, de consolidar a Imagine Cup do Brasil e da América Latina em um único evento”, afirmou. “Em novembro, fizemos uma série de eventos que culminaram em hackathons em que estimulamos os jovens a colocar a mão na massa.”

Conheça um pouco sobre os vencedores da etapa latino-americana da Imagine Cup 2018:

ADAM Robô – Centro Europeu (Brasil – PR)

Uma solução que utiliza inteligência artificial para identificar problemas oftalmológicos como miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia (vista cansada), e obter o resultado em até cinco minutos a preço acessível.

Assista à mensagem dos finalistas brasileiros da Imagine Cup:

Eranoi – Instituto Tecnológico de Veracruz, Instituto Tecnológico de Culiacán, Universidad Insurgentes (México)

A solução é um sistema de monitoramento que mede, em tempo real, os sinais vitais de um paciente como temperatura, umidade, frequência cardíaca, oxigênio no sangue e atividade elétrica do coração por meio de aprendizado de máquina e inteligência artificial.

LEXA – ITBA (Argentina)

Usando a tecnologia de blockchain pública aberta, a solução armazena prescrições médicas, a fim de viabilizar as informações do paciente para futuras consultas e evitar fraudes.

Na final mundial, em Redmond*, o primeiro colocado recebe 80 mil dólares e mentoria de Satya Nadella, CEO da Microsoft. A semana da final é cheia de atividades, então, dependendo da participação, o prêmio do primeiro colocado pode chegar a 100 mil dólares. \o/

Boa sorte a todos os vencedores! <3

* Todos os custos de viagem para São Paulo e Redmond são cobertos pela Microsoft e válidos para três integrantes da equipe e um mentor.