Voluntários da Microsoft e alunos do Instituto Gerando Falcões aprendem juntos a programar com Minecraft

gerando_falcoes1

Por Rafael Pinheiro //

Azul, amarelo, vermelho e verde dominavam a paleta de cores da sala, enquanto alunos do Instituto Gerando Falcões e voluntários da Microsoft resolviam os desafios de programação da Hora do Código. Com as camisetas coloridas, 14 alunos e cerca de 10 voluntários participaram das atividades, que fazem parte do Programa de Voluntariado e da campanha #EuPossoProgramar, em Poá, na Grande São Paulo.

Na abertura, Eduardo Lyra, CEO do Instituto Gerando Falcões, e Alessandra Del Debbio, vice-presidente de Jurídico e Assuntos Corporativos da Microsoft, compartilharam as expectativas para a ação. “A Microsoft faz parte do meu coração e dessa comunidade. Aproveitem bastante esse momento para aprender”, disse Eduardo. “Viemos para aprender com vocês. Se vocês quiserem reprogramar suas vidas, é possível”, completou Alessandra.

Durante aproximadamente duas horas e meia, alunos e voluntários aprenderam o básico de programação usando o jogo Minecraft. “Por trás da tecnologia que usamos existe a programação. Amanhã, esses jovens terão que desenvolver seus próprios aplicativos. Por isso, é importante que eles aprendam a pensar a programação e criar um pensamento não linear”, afirma Claudia Queiroz, coordenadora de projetos do Instituto Crescer, que liderou as atividades.

Para o Instituto Gerando Falcões, a iniciativa é uma oportunidade de construir um mundo mais conectado. “A Microsoft é uma grande parceira, que investe em voluntariado. A importância de uma empresa do tamanho dela é muito grande para a comunidade. Assim, criamos mais pontes e menos muros, com uma explosão de transformação”, comentou Eduardo Lyra.

Com o jogo Minecraft, o aprendizado de programação ficou mais fácil para alunos e voluntários

Com o jogo Minecraft, o aprendizado de programação ficou mais fácil e divertido para alunos e voluntários

Do lado da Microsoft, esse momento de aprendizado foi importante para que os funcionários da empresa pudessem participar de atividades que fazem a diferença na vida das pessoas. “Combinamos essa iniciativa com a campanha do #EuPossoProgramar deste ano. A ciência da computação é uma necessidade na educação hoje. Esperamos que, com iniciativas como essas, possamos colaborar com o desenvolvimento social do Brasil”, disse Elias Abdala Neto, da área Jurídica, Assuntos Corporativos e Filantropia.

“Tudo o que aprendo é uma vitória”

Henrique Souza de Oliveira tem 17 anos, programa há seis meses e diz que a programação mudou sua vida de várias formas. “Quero ser uma pessoa importante e poder ajudar minha família com tudo o que aprendi”. Já Amanda Correia Figueiredo, de 16 anos, gosta de entender como funcionam os códigos. “Comecei a me apaixonar por programação. Tudo o que aprendo é uma vitória”, finalizou.

A iniciativa continua! Amanhã a Hora do Código estará na Escola Estadual Reverendo Tercio Moraes Pereira, em São Miguel Paulista (SP), para ensinar outros jovens que também querem programar.

Saiba mais sobre a campanha do #EuPossoProgramar aqui.

No alto: Jovens e voluntários da Microsoft participam da Hora do Código no Instituto Gerando Falcões, na Grande São Paulo

Fotos: Rafael Pinheiro